Bolsonaro deve participar de convenção evangélica em Goiânia na próxima sexta (27)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) deve visitar Goiânia nesta sexta-feira (27) para para um encontro evangélico: a Convenção Nacional de Madureira, que ocorrerá na Assembleia de Deus Ministério Fama. A informação é do pastor Samuel Almeida, que já foi deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa de Goiás.

Segundo Samuel, trata-se de uma convenção que reunirá todos os presidentes das Assembleias de Deus de Madureira do País. O evento começa nesta quarta-feira (25) e vai até sábado (28).

Samuel afirma que a o presidente deve vir entre 9h e 12h de sexta. Junto com ele, devem desembarcar ministros e deputados, inclusive goianos – além de pré-candidatos e, possivelmente, o próprio governador Ronaldo Caiado (União Brasil).

“É um evento para pastores. Eu sou pastor auxiliar, o pastor titular é o Abinair Vargas. Durante o evento, serão tratadas questões administrativas, pautas ligadas à igreja e conduta. Uma reunião para tratar o desempenho da igreja no Brasil e no mundo.”

“A Assembleia está em todos os rincões do País e a convenção vai reunir as maiores lideranças”, afirma Samuel.

Na agenda oficial do presidente só constam programações até esta quarta. O Mais Goiás enviou e-mail para a assessoria do líder do Executivo Federal para confirmar a visita, mas até o fechamento não houve retorno.

Bolsonaro: preferência entre evangélicos

Segundo pesquisa PoderData desta quarta-feira (25), o ex-presidente Lula (PT) lidera com 43%, seguido de Bolsonaro, com 35%. O atual gestor do País, contudo, é preferência em um segmento: o dos evangélicos.

Entre esses cristãos, Bolsonaro tem 46% das intenções de votos no primeiro turno. Lula marca 33%. Já entre os católicos o petista leva vantagem de 44% a 35%.

No geral, além dos dois primeiros colocados, pontuaram: Ciro Gomes (PDT), 5%; André Janones (Avante), 3%; Simone Tebet (MDB), 2%; Eymael (DC), 1%; Luciano Bivar (União Brasil), 1%; e Doria (PSDB), 1%.

Como a pesquisa ocorreu de domingo (22) a terça-feira (24), e Doria retirou o nome na segunda-feira (23), o tucano já viu uma queda nas intenções, uma vez que no levantamento anterior tinha 4%.

A PoderData ouviu 3 mil pessoas em todo o Brasil e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-05638/2022. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o intervalo de confiança, conforme o instituto, de 95%.