Homem diz ter sido agredido por delegado de Goiatuba e agente

Um homem acusa o delegado de Goiatuba, Patrick Carniel, e o irmão dele, Rodrigo Carniel, agente da Polícia Civil (PC), de agredi-lo durante uma partida de “beach tennis”. O caso aconteceu no último domingo (29) e as cenas foram gravadas. O delegado, contudo, afirma que o homem estava bêbado e foi preciso contê-lo até a chegada da Polícia Militar (PM) – confira a versão abaixo.

Segundo informado ao Mais Goiás pelo homem que diz ter sido agredido, tudo começou por “uma discussão boba”, na Arena Beach Tennis, na cidade. O homem, que prefere ser mantido no anonimato, estava em um degrau, na entrada das quadras com uma cerveja, fazendo stories para o Instagram, quando o irmão do delegado chegou e disse que ele não poderia estar ali com a garrafa de bebida.

“Eu só estava tirando fotos e disse que não iria entrar. O irmão do delegado veio com falta de educação, me mandando sair, que eu não poderia entrar, mas eu estava do lado de fora. Ele fez ofensas e eu respondi, mandei que ele voltasse para o jogo dele com o irmão”, revela o homem que jogava com amigos no local.

Nessa hora, ele afirma que Rodrigo bateu na mão dele e derrubou a cerveja, e as discussões ficaram acaloradas. “Durante a discussão, o delegado também veio, disse que eu era bandido e que já tinha me prendido. Há cinco anos ele me prendeu, me acusou de algo que eu não fiz e fui absolvido. Fiquei 71 dias preso e já tentei entrar na justiça contra o Estado”, revela – ele foi acusado de roubar uma fazenda.

De acordo com o homem, até então estavam apenas nas “agressões verbais”, sem contato. A gerente do bar que existe no local, então, pediu que ele fosse embora. O homem concordou e, quando estava pagando a conta, teria teria sido agredido com “empurra-empurra”. “Mas não teve socos.”

Ele explica que o irmão do delegado chegou a enforcá-lo, mas o soltou em seguida, dizendo que ele estaria preso. Ele e os amigos que filmaram o ocorrido aguardaram a Polícia Militar (PM) e foram para à delegacia. De acordo com homem, após conversar com o delegado Patrick, já mais calmos, foi liberado junto com os colegas.

Versão do delegado

O delegado Patrick Carniel conversou com o Mais Goiás. De acordo com ele, o homem chegou a entrar na quadra de areia com a garrafa de cerveja e foi avisado para ele sair. “Ele estava bêbado e começou a xingar todos. Depois de muito xingamento a gerente do bar pediu que ele saísse. Temos a filmagem completa do circuito interno. Estávamos contendo ele até a PM chegar.”

O delegado reforça que essa versão é facilmente comprovada, uma vez que o homem não teve lesões. “Se houvesse agressão de duas pessoas a ele teria se machucado.”

Secretaria de Segurança Pública de Goiás foi procurada e afirmou que as primeiras providências ocorrem no âmbito da Polícia Civil. Desta forma, solicitou que o portal solicitasse um posicionamento à corporação, que enviou a seguinte nota:

“A Polícia Civil de Goiás informa, sobre o caso ocorrido em Goiatuba, que tomou conhecimento dos fatos e o caso será investigado pela Corregedoria da instituição para o devido esclarecimento do ocorrido.”

Terceira versão

O dono do Arena Beach Tennis, Osvaldo Mendonça, disse que o rapaz chegou mais cedo ao local e brincava com amigos. Em determinado momento ele “começou a entrar na quadra e o pessoal alertou. Ele, então, achou ruim e começou a exaltar”.

De acordo com o empresário, a gerente pediu que ele fosse embora a chamou a polícia. Questionado se houve agressão ele diz que “foi mais exaltação”. “Ele não estava machucado.”

O homem e uma testemunha afirmam que os empurrões e o enforcamento configuram agressão.

Outra situação

Um outro homem, que reforça a versão do homem que diz ter sido agredido e afirma ter presenciado o fato, diz que já entrou com processo de abuso de autoridade contra o policial na corregedoria da Polícia Civil por um ocorrido em outubro de 2021.

Ele declara que se desentendeu com o delegado por causa da namorada dele [do denunciante] e que, depois disso, o policial passou a persegui-lo. “Em outubro, estava ocorrendo uma festa particular e ele chegou com o irmão e entrou no local. Estavam todos os meus familiares e ele pediu que todos fossem embora, me chamando de vagabundo… Essa perseguição começou depois que pedi para ele respeitar minha namorada.”

delegado também comentou esse caso. Diz que, na verdade, é esse homem que o persegue e que ele não estava na Arena Beach Tennis, no domingo. O portal mostrou um vídeo que corroboraria a versão do homem em relação a festa que foi “fechada”, mas o policial disse se tratar de um acontecido em Pontalina que a Polícia Civil deu suporte a pedido da Vigilância Sanitária.

“Foi uma ação conjunta da Polícia Militar e da Polícia Civil, pois não havia alvará. Inclusive, há inquérito e o homem responde por contrabando, pois tinham objetos ilícitos lá dentro.”