Porteiro de escola é indiciado por estupro e produção de pornografia infantil, em Montividiu (GO)

Polícia Federal (PF) indiciou o porteiro de uma escola por suspeita de estupro de vulnerável e produção de material pornográfico envolvendo crianças ou adolescentes. Se condenado, o suspeito pode cumprir mais de 25 anos de prisão. A operação que resultou na prisão dele ocorreu em 26 de maio desse ano, na cidade de Montividiu, no Sudoeste de Goiás.

De acordo com os agentes federais, o homem foi preso em flagrante por armazenar e distribuir na internet imagens pornográficas de crianças e adolescentes. Posteriormente, o próprio suspeito confessou que também produzia os materiais pornográficos. Todos os crimes estão previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente, conforme o artigo 240.

Ao Mais Goiás, a corporação não deu mais detalhes a respeito dos crimes supostamente cometidos pelo porteiro. Por não ter acesso ao nome dele, o portal não conseguiu localizar a defesa para manifestação.

Nesta quinta-feira (28), a PF concluiu as investigações e indiciou o suspeito. O inquérito foi encaminhado para o Ministério Público do Estado (MP-GO). Agora, cabe ao MP-GO avaliar o inquérito e dar andamento no processo.